segunda-feira, julho 16

Proeza duplamente negativa



Se se tivesse tentado há anos atrás o mais certo era rachar a cabeça no esforço. Hoje em dia foi possível mas apesar da dureza não o deveria ter sido. O nadador de resistência Britânico Lewis Pugh levou a cabo a maior, mais difícil e provavelmente mais idiota façanha da sua vida: Percorreu um quilómetro inteirinho nas águas do Pólo Norte. Escusado será dizer que as mesmas estavam geladas, mas não congeladas. E a origem do acto baseou-se exactamente nisso, hoje em dia é possível dar umas braçadas no Pólo Norte. Este possível não entra na categoria de "hmmm não estou a fazer nada, hoje em vez de andar de bicicleta vou dar um mergulho aos pólos". Voltando... Lewis tomou a iniciativa na tentativa de demostrar que o aquecimento global é algo do presente e não do futuro. Se fosse há dez anos atrás a única coisa em que teria mergulhado seria (mesmo no pico do Verão) numa placa de gelo, hoje no mesmo lugar existe água no estado líquido apesar dos 1,8º abaixo de zero na escala Celsius (devido ao sal que diminui o ponto de fusão da água). O quilómetro foi percorrido com a ajuda de uns míseros calções, óculos e touca de banho em pouco menos de 19 minutos. Ficam aqui as palavras de Lewis no relato do acontecimento - "De imediato toda a minha pele ficou a arder. É o mais assustador e perigoso local para nadar na Terra". No link seguinte fica o video do treino levado a cabo por Lewis.



2 comentários:

Pedro Miguel disse...

Sobre este "mano" só tenho a dizer isto... Rijeza

Great Houdini disse...

Eh pá ... que gelo, a não ser que seja daquele quente, o alienigena =)

Mas todos sabemos que a virilidade masculina é afectada de sobremaneira com as águas geladas.

Por isso realmente isto é uma prova de coragem.

Brinco porque senão tenho de chorar e agora não me dá jeito!